31 de dez de 2011

Bagagens














.

.
.
.
Ela acreditava ter tudo o que precisava. Sobregarregada de emoções que ajuntou o ano inteiro, não tinha certeza da quantidade de tranqueiras que possuía e de quanto peso a mais tinha sobre si. Mas, como todo final de ano é tempo de fazer as contas e pesar erros e acertos, quis - com sinceridade, abrir suas reservas para ter certeza se levaria todas aquelas lembranças adiante.
.
As vezes ajuntamos e guardamos a sete chaves os sentimentos mais pobres e superficiais e as virtudes que temos nem sempre conservamos ou valorizamos como deve ser. É sempre bom pesar o que realmente constrói e nos torna melhores...
.
Não demorou para descobrir que muito do que levava consigo não deveria - jamais - ter feito parte de sua vida. E que, se quisesse ser melhor não poderia levar tudo aquilo. Uma bagagem bastaria. Ela entendeu que muitas vezes as emoções traem e atrapalham os sentidos. Por isso decidiu que não levaria aquelas mágoas na bagagem. Mas levaria muita alegria, esperança e entusiasmo junto a outras coisas boas e coloridas que fazem a vida mais feliz. Com a graça de Deus.
.
Polyana Zavariz

23 de dez de 2011

preparando a casa para o Natal
















.
.
Coração pesado. Carregado de emoções que ajuntou o ano inteiro. Encharcado pelas lágrimas que não são capazes de sair. Espaço apertado demais para colocar uma manjedoura. Não pode ser de outro jeito... Foi preciso fazer uma faxina geral e retirar todo excesso de sentimentos, resolvidos ou não, que estavam ali. Pois só com o coração despojado é possível celebrar o Natal. Foi o que ela fez. Dedicou-se em preparar primeiro a casa do seu coração para SER o lugar para o Menino Jesus nascer. Depois enfeitou a casa exterior com os símbolos que são próprios para que, quem chegar, sinta-se também acolhido pelo Salvador que se faz pequeno para chegar a nós. 
.
Ele quer encontrar espaço também no seu coração.
Um Santo e Feliz Natal!
.
Polyana Zavariz

21 de dez de 2011

fazer o bem

.
.
.
"O que as criaturas desejam é encorajamento. Não se deve censurar sistematicamente os defeitos de alguém, mas apelar para suas virtudes. Ao tentar afastar uma alma do mal caminho, deve-se descobrir e fortalecer o melhor da sua índole, o lado bom que ainda não aflorou. A influência que o bom caráter exerce é contagiosa e pode revolucionar uma vida inteira... Todas as criaturas irradiam o que pensam e o que trazem no coração (...) Quem procura o mal, certamente o encontrará. Mas quando se procura o bem na esperança de encontrá-lo, logo o bem aparecerá..." . (Eleanor H. Porter)

17 de dez de 2011

Coração eu tenho!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
.
.
.
.
"Faz frio. Pés descalços, sentada no chão... Abri meu recanto de carinhos e reli tantas cartas, tantas procuras, tantos tempos, tantas saudades. Leio tudo. Leio e saio catando com as pontinhas dos dedos qualquer coisa que me reponha. Me perdi, mas não me abandono. É preciso estar dentro de mim. Preciso me empurrar de volta. Tenho tanto medo de ver os dias passando enquanto fico.
.
(...) Decidida, sugiro chuva. Um banho de chuva, um grito na chuva, porque depois qua cai o céu, o mergulho é na vida. E arco-íris. Ah, e como tenho procurado um arco-íris! Uma recompensa. Uma aquarela.... E vou. Tentando, apesar de um tanto despetalada, dobrar a vida em flor, como diz a música.
.
(...) Eu sempre sorrio, repito. Não precisa ter nexo. Ir, parar. Falta de ação. Talvez cor. Coração eu tenho. Tenho tanto que quase aceito sê-lo. Vai ver é isso. Que amanhã, depois e sempre, eu seja. É tanto amor para amar."
(Jaya Magalhães)

16 de dez de 2011

À porta.








.
.
.
.
.
.
.
..


.

.
.
.
Mesmo que eu não tenha as respostas para os meus questionamentos, por mais que o tempo demore, e ainda que tudo pareça "virar do avesso" e ache que nada mais vai dar certo, e tiver a tentação de desistir, Deus bate a porta de nosso coração e pede a nós se permitimos que a esperança entre e faça morada.
.
Apesar dos ventos contrários, Ele nos convida a mudar o foco de nosso olhar para ver além... A vida é muito mais do que aquilo que eu consigo enxergar. A esperança não é medida a partir de conceitos, ou do que eu considero provável ou aceitável, mas principalmente, da Fé, pois é espera firme e constante de que o melhor pode acontecer. É o que nos move nesta vida. E, se é o que nos movimenta, é dom de Deus.
.
É necessário, portanto, perceber a vida com os olhos da fé para que sejamos capazes de enxergar todas as situações com esperança, e sentir - verdadeiramente - a mão de Deus a nos abençoar. Diante de situações complicadas e difíceis não desanimemos, mas peçamos ao Senhor para que aumente em nós a fé para que sejamos capazes de passar pelas dificuldades e sejamos esperançosos diante da vida.
.


A esperança é o que move o coração do homem, e precisa fazer morada em nosso coração.

Uma vez que compreendermos isso cultivaremos a esperança uns dos outros. Que nosso coração esteja ancorado em Deus, e cheio de esperança. Ele está à porta.
.
.
Paz e bem.
Polyana Zavariz.

11 de dez de 2011

...as horas








.
.




.
.
.
As coisas são
As coisas vêm
As coisas
Vão e vêm
Não em vão
As horas
Vão e vêm
Não em vão
.
(Relógio, Oswald de Andrade)

6 de dez de 2011

Desafios














.
.
.
.
A vida sempre traz surpresas e desafios. E diante de nossos passos vamos fazendo as escolhas que julgamos ser melhores prar nós, não é verdade? Acredito que a intenção do coração seja - sempre - de acertar, porém, nem sempre sabemos o que é melhor para nós mesmos.
.
E mesmo que pareça loucura, as vezes somos traídos pelas nossas próprias emoções. Mas há Alguém que sempre nos orienta e ajuda a fazer escolhas certas e com mais equilíbrio. É Ele que fala ao coração e nos ajuda a encontrar horizontes nos caminhos que devemos seguir. Ele é o Amigo que nos acolhe quando estamos perdidos ou esqueçemos por onde retornar ao caminho, Ele ascende luzes nos trechos escurecidos.
.
Esse Amigo caminha ao nosso lado, e sempre tem um sorriso em seus lábios, fala ao nosso coração, tornando nossa vida mais feliz. Com Ele jamais estamos sozinhos. É Jesus, o Melhor Amigo,  que nos sugere qual estrada é melhor trilhar, e nos ajuda aos desafios enfrentar.

1 de dez de 2011

Oração









,
,
,



.
.
Ó Deus, queremos vos louvar porque no mistério da Encarnação de vosso Filho viestes ao nosso encontro e nos alegrastes com a vossa presença. Queremos vos agradecer, porque no grande mistério da Encarnação vosso Filho se fez um de nós e, na pobreza do presépio, apontou-nos o início de uma Nova Vida. Como os anjos, que anunciaram um novo tempo de paz aos homens de boa vontade, ajudai-nos, Senhor, a sermos homens e mulheres de boa vontade, para que vosso Filho possa nascer também em nossos corações. E assim, ó Pai, saibamos fazer de cada um de nossos lares e famílias uma nova e atual Belém, onde reinem a paz e a luz que brotam de vosso fecundo amor. Amém.
,
,
(Frei Brayan F. Farias, OFM e Frei Camilo D. E. Martins, OFM - Folhinha do Sagrado Coração de Jesus, 01/12/2011)

30 de nov de 2011

marcas
















.
.
.
.
.
Por onde passa, o homem deixa sua marca. As feridas, sejam na areia,
no tempo, ou no outro, são inevitáveis. . . . . . .  [Abner Santos]

28 de nov de 2011

O verdadeiro sentido do Natal













.
.
Que este tempo seja de preparação para que o Menino Jesus faça morada em nós.

26 de nov de 2011

Seja luz






.
.





.
.
.
..."no mistério me abandono e me deixo envolver,
mesmo quando o sofrimento se derrama sobre mim,
na ausência de respostas eu procuro compreender,
há razões que só a fé pode entender..."
.
(música Sigo a luz - Pe. Fábio de Melo, CD As Estações da Vida - Paulinas)

Terapia do abraço*

.



.
.
.
Estamos nos condicionando a ter o mínimo de contato com o ser humano.

Vivemos em tempos de medo! Muito do que empreendemos tem por conta o zelo pela nossa segurança. Os homens querem cercar-se de garantias para estar a salvo: da vida afetiva, profissional e econômica à integridade física.

É tanta cautela, que todos esses procedimentos tomados têm cada vez mais afastado as pessoas e formado um ser humano desequilibrado e frio. São grades que engaiolam crianças, blindagens contra a liberdade, ensinamentos que não transmitimos por medo de perder o cargo, mãos que não selam acordos. Estamos nos condicionando a ter o mínimo de contato com o ser humano.

Somos seres dotados de afetividade. Afetividade é o que afeta, interfere no íntimo da pessoa. O gênero humano tem por aspiração o ser comunitário. Precisamos viver juntos, necessitamos uns dos outros.

Sentimentos e afetos são parte do todo do ser humano. São faculdades que proporcionam cor e intensidade a cada momento e circunstância da nossa vida e trazem significado em nosso interior sobre pessoas e acontecimentos. Juntamente com o lado racional, as emoções também são alicerces para tomadas de decisão.

Daí, a importância de cultivarmos boas emoções, estarmos sadios afetivamente. E isso acontece por meio do relacionamento, das conversas, da procura da concórdia, dos gestos que demonstram carinho e consideração. Contudo, depois daquele agradável encontro ou ao ser gerada uma boa impressão a respeito de alguém, quando entendemos que amamos e somos amados, o que vem a ser o penhor e coroar todo tipo de relacionamento são as diversas formas de contato, como o toque, o aperto de mãos, o abraço, o beijo, o afago, entre outros. Gestos muito importantes na construção de nossa afetividade, que geram homens e mulheres sadios emocionalmente, pois ao sentirmos o amor pelo calor humano conectamos a impressão psicológica e espiritual ao que experimentamos fisicamente.

Então a partir daí todo gesto de amor que recebemos pode ser sentido pelas três instâncias do ser: Física, Psiquica e Espiritual.

Um exemplo é quando um indivíduo sabe que sua família o ama pelas palavras proferidas ou pelo sustento que lhe garantido, mas se não há o carinho físico, fica faltando uma dimensão.

O amor manifestado para o todo (três dimensões) do ser humano gera segurança e autoconfiança. Sentir a mão de quem amamos nos passa a sensação concreta de porto seguro. Dá uma percepção palpável do amor que antes intuímos pelo lado racional e na alma.

Jesus tocava os doentes e abraçava as crianças e, um dia, disse ao fariseu que O convidou para jantar: “Não me deste o ósculo (beijo); mas esta, desde que entrou, não cessou de beijar-me os pés” (Lc 7, 45). Em referência àquela pecadora que, em seu gesto, demonstrou um amor no qual o anfitrião não o manifestava (cf. Lc 7, 47). Da mesma forma os apóstolos também tocavam nos enfermos e assim ministravam a cura “quando impuserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados” (cf. Mc 16, 17-18).

Quem sabe hoje não precisemos abraçar alguém que há muito não trazemos para perto do coração e deixemos calar as mágoas passadas num gesto que é imprescindivelmente humano? Talvez até pessoas da nossa família, de dentro de nossa casa que há tempos não sentimos o calor nem o perfume, porque não mais nos aproximamos.

Diminuamos as distâncias e construamos pontes de amor que nos liguem a outras pessoas. Não tenhamos medo de apertar a mão ou envolver com um abraço aquele(a) que não é ainda parte do nosso círculo de amizades. Este gesto pode salvar uma alma. Há muita gente por aí precisando de um abraço, nos hospitais, prisões, asilos ou talvez no trabalho, na escola, alguém que esteja próximo fisicamente de nós. Vidas gritam por isso!
Um grande abraço a você!
Deus o abençoe!

*Sandro Ap. Arquejada - Missionário Canção Nova
sandroarq@geracaophn.com

24 de nov de 2011

...refúgio






.
Coração de amigo é aconchego para a alma.

16 de nov de 2011

Casa limpa

.
.

Deus quer fazer parte de nossa vida, das tristezas e também das alegrias, e quer por escolha Dele. Ele sabe que não mereçemos mas, conhecendo nossas fragilidades, quer cuidar de nós, sarar nossas feridas. Porém, para que isso aconteça - ou seja, para que Sua graça nos alcançe - é necessário abrir as portas do nosso coração, sem reservas,  para que Ele tenha livre acesso a nós.
.
Ele sempre espera. Espera que eu abra meu coração e permita que Ele entre e arrume os cômodos, visite cada espaço, cada lembrança, e - se preciso for - cure as feridas que ainda doem. Seu Amor é bálsamo que cicatrizam aquelas machucaduras que parecem não ter mais jeito. Vai ajudar-nos a organizar os ambientes e nos fará compreender onde precisamos melhorar. Ele que fazer morada em nós.
.
Uma vez que o Senhor entra e passa a fazer parte de nossa vida, tudo se torna novo e ganha novo sentido. Só Ele pode transformar a nossa história.
.
Que a fé nos torne amigos de Deus!
Paz e bem.
.
Polyana Zavariz.

13 de nov de 2011

Pra hoje

"O ontem se foi, o amanhã ainda não chegou, e
o hoje está diante de nós. Rceba bem a ilustre visita do agora. Ela é rara."
(Abner Santos)




a espera

"E esta é a graça dos pássaros:
cantam enquanto esperam."
.
(Henriqueta Lisboa)
.


6 de nov de 2011

Tempo presente

.
..
,



.
.
.
MÃOS DADAS
Carlos Drummond de Andrade
.
"Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.

O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente."
.

.
Encontrei lá: nicholasgimenes.blogspot.com

18 de out de 2011

Esperar o outro


.
.
"Uma coisa é esperar alguém, outra coisa é esperar de alguém. É diferente. Espere as pessoas, mas não espere das pessoas. Essa decisão costuma evitar decepções."
.
(Abner Santos)

12 de out de 2011

A bênção, Mãe!

..
.
.
Protegei-nos e guardai-nos sob Vosso manto Sagrado.
Fazei-nos seguir o caminho que Deus escolheu para nós,
e ensinai-nos a ter o coração agradecido, sempre.
A bênção, Mãe de Deus e nossa,
Nossa Senhora Aparecida! 

2 de out de 2011

Desprendimento

.
.
"Não me deixo abater porque não espero, sobre esta terra,
nenhuma retribuição; é pelo bom Deus que faço tudo.
.
(Sante Terezinha do Menino Jesus)
.
.
Santa Terezinha, rogai por nós.

27 de set de 2011

Necessidade da fé

.
.

Quais sentimentos tem permeado sua vida? O que tem tomado espaço em seu coração? O que o entristece? Como tem reagido diante dos problemas? Tenho vivido com muitas dúvidas nos últimos dias, e questionamentos surgem em meu coração, fazendo-me parar nas situações, ao invés de reagir. Pareço ter perdido o norte de minha vida...
.
Mas, parece que o vento mudou a direção de meu olhar. Escutei uma voz que dizia: "Deus te ama. Não se deixe enganar!" E, mais que depressa, desviei o olhar dos problemas e busquei Aquele que pode mudar o rumo de minhas escolhas.
.
A nossa vida é uma luta constante para não naufragar em problemas, tristeza, decepções e tantas outras situações que possam surgir, porém, a maneira mais eficaz de equilibrar-nos no mar é permitir que o Capitão tome a diração do nosso barquinho. E, como diz a canção: "Com Jesus, tudo pode ser mudado pela força da oração"; ainda que estejamos passando por dias nublados ou com tempestades - Ele pode acalmá-la.

.
A fé é o combustível da alma. É a força interior que nos move em direção Àquele que nos dá a vida, e a dá em abundância. O Catecismo da Igreja Católica, parágrafo 157, nos diz: "A fé é certa, mais certa que qualquer conhecimento humano, porque se funda na própria Palavra de Deus, que não pode mentir. Sem dúvida, as verdades reveladas podem parecer obscuras à razão e à experiência humanas, mas 'a certeza dada pela luz divina é maior que a que é dada pela luz da razão natural' (São Tomás de Aquino)."
.
Contudo, para compreender a dimensão da fé e sua necessidade em nossa vida, o Catecismo ainda nos orienta: "É necessário, para obter [esta] salvação, crer em Jesus Cristo e naquele que o enviou para nossa salvação. A fé é um dom gratuito que Deus concede ao homem. Podemos perder este dom inestimável. (...) Para viver, crescer e perseverar até o fim na fé, devemos implorar ao Senhor que a aumente; ela deve 'agir pela caridade' (Gl 5, 6), ser carregada pela esperança e estar enreizada na fé da Igreja" (CIC parág. 161 e 162).
.
Aprendamos a ver a Vida com os olhos da fé, estando em concordância com o que nos orienta a Santa Igreja, para que não mais sejamos levados pelos ventos contrários.
.
.
Abraço fraterno.
Paz e bem.
.
Polyana Zavariz.

25 de set de 2011

Primavera

.
.

"Sejamos como a primavera que renasce cada dia mais bela...
exatamente porque nunca são as mesmas flores."
.

Clarice Lispector

23 de set de 2011

Fica comigo, Senhor!


.
Fica comigo, Senhor, pois preciso da tua presença para não te esquecer. Sabes quão facilmente posso te abandonar.
.
Fica comigo, Senhor, porque sou fraco e preciso da tua força para não cair.
.

Fica comigo, Senhor, porque és minha vida, e sem ti perco o fervor.
.

Fica comigo, Senhor, porque és minha luz, e sem ti reina a escuridão.
.
Fica comigo, Senhor, para me mostrar tua vontade.
.
Fica comigo, Senhor, para que ouça tua voz e te siga.
.
Fica comigo, Senhor, pois desejo amar-te e permanecer sempre em tua companhia.
.
Fica comigo, Senhor, se queres que te seja fiel.
.
Fica comigo, Senhor, porque, por mais pobre que seja minha alma, quero que se transforme num lugar de consolação para ti, um ninho de amor.
.
Fica comigo, Jesus, pois se faz tarde e o dia chega ao fim; a vida passa, e a morte, o julgamento e a eternidade se aproximam. Preciso de ti para renovar minhas energias e não parar no caminho.
.
(SÃO PIO DE PIETRELCINA)

21 de set de 2011

Expectativa

,
,

"A espera pelo Sol torna a noite ensolarada."
ABNER SANTOS

19 de set de 2011

* Estamos caminhando no rumo da perda de nossa consciência de sermos humanos?

.
..
O aborto é um sinal de alarme que indica um perigo onipresente na sociedade: a perda de identidade humana.

É uma observação do padre Robert Gahl, professor adjunto de Ética na Universidade Pontifícia da Santa Cruz.

O padre Gahl falou com o programa de televisão “Deus chora na Terra”, da Catholic Radio and Television Network (CRTN) em colaboração com Ajuda à Igreja que Sofre.

- O aborto é um sofrimento universal: 53 milhões de abortos no mundo. Em alguns países, mais de 70% das mulheres já abortaram. Por que essas questões ficaram tão presentes hoje: aborto, eutanásia?

- Padre Gahl: Bom, é um paradoxo, triste, que evoca o pecado original. Adão e Eva tentaram ficar no lugar de Deus, ser deuses no lugar dele. Os seres humanos tentam dominar o poder divino, o poder sobre a origem da vida, e controlar o começo da vida de um jeito que é contrário ao desígnio de Deus, e, por isso mesmo, contrário ao desígnio do amor. E eles se sentem poderosos durante um instante. Pode ser até que eles achem que conseguiram.

Mas logo depois eles sentem a frustração e a negação da sua própria identidade, porque essa identidade é a identidade do amor, porque eles foram feitos para o amor. O nosso coração foi feito para o amor. Mas em vez de ser pessoas apaixonadas, em vez de apertar os nossos laços familiares, nós viramos meros construtores, gente que controla produtos. Se o nosso poder de dar vida é simplesmente produzir elementos que se encaixam no “fui produzido”, ou no “sou só o final da linha de um sistema de produção mecanizado”, isso é só a negação da minha própria dignidade como filho de Deus. E como filho dos meus pais.

- Olhando para trás, qual foi o momento em que surgiu no horizonte essa aceitação do aborto, da pesquisa com células-tronco, da eutanásia?

- Padre Gahl: O aborto, infelizmente, é tão estendido por tantas partes do mundo que, hoje, muita gente, até os documentos da ONU, acham que ele é um direito reprodutivo. A origem disso é a revolução sexual, que não foi uma revolução de libertação, mas uma revolução do narcisismo, do desespero, de cortar laços, afeto, amizade e amor pelos outros.

E no centro dessa revolução sexual nós tínhamos o desenvolvimento dos anticoncepcionais químicos, que permitiram o sexo sem bebês, ou seja, as pessoas podiam ter o prazer da sexualidade só como uma busca egoísta.

E eles desconectaram a ordem intrínseca, orientada ao dom da vida; desconectaram a sexualidade dos compromissos sérios de amor, de formar uma família, e, claro, de ser pais e mães. É uma diminuição da dignidade humana. Eu considero que o problema do aborto é que é um sinal de alerta. É uma luz vermelha que está arrancando vidas, mas que indica uma coisa que é mais onipresente ainda, e que está mais profundamente enraizada na nossa sociedade do que você possa imaginar.

- E o que é?

- Padre Gahl: É a perda da própria identidade. Da nossa identidade que participa do poder criador de Deus, e que chama a pessoa a ser mãe e pai.

- O aborto é justificado quase sempre como o direito de escolha. Mas também como um apelo ao amor. Por exemplo, algumas pessoas dizem que acham melhor abortar do que criar um filho sem amá-lo. Como é que nós chegamos a esta situação invertida, em que a morte é justificada por amor?

- Padre Gahl: O verdadeiro amor humano é incondicional. Quando você ama alguém, não interessa o que acontece. Não interessa, você vai cuidar. Se ele fica doente, se ele fica paralisado por causa de um acidente de carro, você vai cuidar dele pelo resto da vida. Naquele outro tipo de amor, que é uma forma de amor egoísta, você só se entrega a alguém enquanto quer. O aborto, nesse tipo de amor manipulado, vira um meio de saída. Nós temos que mudar completamente e dizer que precisamos aceitar a todos, toda vida humana. Como dizia a Madre Teresa: não existem filhos não desejados; se existe uma criança que alguém diz que não é desejada, tragam para mim, eu vou cuidar dela, porque eu desejo essa criança. E essa é a verdade. Se alguém foi capaz de dizer que o aborto nos permite agir com um cuidado altruísta, porque evita dificuldades, esta lógica nos leva de um modo trágico, eu até diria de um modo assassino, a afirmar que os deficientes não deveriam existir. Isso é a negação de toda dignidade humana.

- Nós passamos da vida como algo intrinsecamente importante a enfatizar a qualidade de vida. A mudança para a qualidade de vida coloca a pergunta: Qual é a minha qualidade de vida? Eu estou tendo qualidade de vida? Isto aponta para os deficientes: eles estão tendo a qualidade de vida que deveriam ter? Isso não coloca em questão a própria vida deles?

- Padre Gahl: Claro. Uma parte dessa lógica aberrante leva também a julgar cada um de nós com base no nosso rendimento. O meu valor se baseia no que eu posso fazer pela sociedade. Se num dado momento os meus resultados são decepcionantes, por doença, por um erro, por estar num setor da economia que o consumidor não deseja mais, então eu não seria mais necessário, e, aí, deixaria de ser importante.

- O maior dom de Deus à humanidade foi o dom de co-criar a vida com Ele. O que faz o aborto ao quebrar esta relação entre o homem e Deus?

- Padre Gahl: Nos esquecemos às vezes, devido ao “cientificismo” – que reduz tudo ao fato científico – que o começo de uma nova vida humana não só vem de um homem e uma mulher, mas também de Deus. Exige a participação de três pessoas, porque a alma humana é imaterial. É a alma espiritual que é criada direta e imediatamente por Deus. Por isso, quando um homem e uma mulher unem-se para ter um filho, é também – tanto ou mais – filho de Deus. Daí que, se quisermos recuperar este respeito pela vida, será porque teremos voltado a tomar consciência do papel de Deus ao dar a vida e, pelo mesmo, deste poder que temos dentro de nós, que é na realidade um poder divino e transcendente. Trata-se de um poder criador pelo qual quase temos Deus na palma da mão, porque podemos dizer-lhe, em certo sentido, quando criar uma nova alma humana. Portanto, se renovarmos esse respeito pela intervenção de Deus, Ele nos ajudará também a nos respeitarmos uns aos outros como imagens de Deus, como outros Cristos.

- Em países como a Rússia, mais de 70% das mulheres abortaram. A proporção de abortos em algumas províncias russas pode alcançar os oito ou dez abortos por mulher, porque o utilizam como um meio de controle de natalidade. Na China, a política de um só filho obriga as mulheres a abortar. Que impacto espiritual e psicológico tem isso na sociedade?

- Padre Gahl: No leste europeu, onde vemos índices tão altos de abortos, que frequentemente se associam a altos índices de suicídios, alcoolismo e depressões graves, há uma sensação de niilismo, de perda total do sentido da vida. Isso ocorre em uma sociedade que não se baseia no amor a seus filhos. É necessário que isso mude. Graças a Deus, em alguns desses países está-se notando uma tendência na direção correta. Na Federação Russa, por exemplo, tem havido ultimamente um aumento na taxa de natalidade. A proporção de abortos continua muito alta, mas fica a esperança de que este aumento da taxa de natalidade continue, de modo que o índice de abortos caia.

- Que mais a Igreja pode fazer neste tema?

- Padre Gahl: Em primeiro lugar, quando pensamos na “Igreja”, tendemos a pensar na hierarquia – em nós, sacerdotes, bispos, o Papa –, mas na realidade a Igreja é o conjunto de todos os cristãos batizados. A Igreja é uma família, por isso precisamos que todos – todos os cristãos batizados – aceitem a vida com amor. Precisamos também de ajuda nos centros para mulheres grávidas. A Igreja magisterial, a Igreja hierárquica, evidentemente, tem de ser também coerente com os princípios da teologia moral católica sobre o tema.

A Igreja há de continuar seguindo o exemplo de Karol Wojtyla, que, como arcebispo de Cracóvia, abriu centros de ajuda para mulheres em situações de crise. Mas na realidade tudo se reduz a isso: Deus é amor. Sou filho de Deus. Sou feito à imagem de Deus, por isso tenho de fazer presente entre os demais seres humanos o rosto de Deus, que é o rosto do amor. Se fizermos isso em todas as nossas relações humanas, se mostrarmos de verdade respeito pela dignidade humana, se mostrarmos respeito e amor pelas pessoas que sofrem, então podemos começar a recuperar os princípios que são necessários para que toda vida humana seja aceita. A vida então não será jamais considerada só um produto, como os bebês que são feitos num tubo de ensaio segundo os desejos de algum fabricante.

Voltando atrás, gostaria de acrescentar que precisamos recuperar nossa sexualidade, assim como a consciência de que a sexualidade é sagrada, e precisamos, portanto, viver a modéstia e o respeito pela nossa sexualidade e nossos desejos sexuais com castidade e fortaleza, de modo que nos preparem para dar vida dentro da estrutura da família.

— — —

Esta entrevista foi realizada por Mark Riedemann para “Deus chora na terra”, um programa rádio-televisivo semanal produzido por ‘Catholic Radio and Television Network’, (CRTN), em colaboração com a organização católica Ajuda à Igreja que Sofre.

Mais informação em www.aisbrasil.org.br


7 de set de 2011

.
.
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
"Alguns procuram tuas conquistas e medalhas, 
outros buscam você.  Ainda bem."
;
(Abner Santos)

31 de ago de 2011

Qual é a sua escolha?







.
;
;
;
,
,
.
.
.
Passam os dias, correm as horas... e percebo que gasto tempo demais com coisas tolas, vazias e que me paralizam. E, quando percebo a vida passou e levou consigo as oportunidades... O tempo é breve. Por isso não podemos ficar apegados com o passado, revivendo lembranças e emoções que em nada acrescentam em nossa vida hoje.
.
Também não é bom ficar planejando, sonhando com o futuro distante, e deixar de viver o tempo presente. Não quero dizer que temos que viver o tempo presente sem ter preocupações, porém, busco refletir sobre quais escolhas tem dado sentido à nossa vida. Isso em relação as decisões pessoais, quanto as pessoas, enfim.
.
As expectativas que temos em relação a pessoas ou situações não podem ter o enfoque principal diante das escolhas que fazemos, mas, é no hoje, ou seja, no agora que podemos consertar os erros do passado, assumir suas consequências, para que nos tornemos melhores amanhã. E colhamos bons frutos.
.
A cada instante podemos fazer escolhas boas ou más. O que vai definir a direção de nossas vidas são as intenções que temos no coração.
.
Que o Espírito Santo ilumine e esclareça nossa mente, para que nossas escolhas sejam coerentes com a vontade de Deus em nossa vida.
.
Paz e bem.
Deus abençoe!
.
Polyana Zavariz.

24 de ago de 2011

Novas flores











;;
.

,
"Viva bem a estação de hoje. Amanhã
ela será a mesma,
mas as flores serão outras."
ABNER SANTOS

17 de ago de 2011

Vãs preocupações













.
.
Estava com pressa. Não ousou parar e observar quem por ali passava.
Carregada de pensamentos e tarefas a cumprir,  com os olhos fixos no
relógio  para  não  perder  tempo...  E perdeu oportunidades únicas de
contemplar um olhar ou apreciar um sorriso...
.
Andou depressa demais.
Caminhou sozinha...
Preocupada demasiadamente consigo mesma.
.
.
Polyana Zavariz.

5 de ago de 2011

Um instante que passa...

Meu Canto de Hoje*



















.
.
Minha vida é um instante, um rápido segundo,
Um dia só que passa e amanhã estará ausente;

Só tenho, para amar-Te, ó meu Deus, neste mundo,

O momento presente!...
;
Como Te amo, Jesus! Por Ti minha alma anseia;

Sejas meu doce apoio por um dia somente.

Reina em meu coração: Teu sorriso incendeia

Agora, no presente!
;

Que me importa, Senhor, se no futuro há sombra?

Rezar pelo amanhã? Minha alma não consente!

Guarda meu coração puro! Cobre-me com tua sombra.

Agora, no presente!
.

Se penso no amanhã, temo ser inconstante,

Vejo nascer em meu coração a tristeza e o enfado.

Eu quero, Deus meu, o sofrimento, a prova torturante

Agora, no presente!
,

Devo ver-te em breve na praia eterna,
Ó Piloto Divino, cuja mão me conduz.

Sobre as vagas em fúria, guia minha navezinha

Agora, no presente.


Ah! Deixa-me, Senhor, em tua Face esconder-me.
Para não ouvir o mundo a clamar futilmente.Dá-me Teu amor, conserva-me tua graça.

Agora, no presente.


Junto ao Teu Coração divino, esqueço o que se passa,
Não temo mais a noite em ameaça.Dá-me em Teu Coração, Jesus, um lugar,

Agora, no presente.


Pão vivo, Pão do Céu, divina Eucaristia,
Ó mistério sagrado! que o Amor produziu...Vem morar no meu coração, minha branca Hóstia,

Agora, no presente.


.Digna-Te unir-me a Ti, Vinhedo Consagrado,
Para que meu ramo assim, com frutos, se apresente

E eu vou Te oferecer algum cacho dourado, Senhor,

Agora, no presente.
,

Esse cacho de amor, cujos grãos são as almas...

Só tenho para formá-lo este dia que foge.

Ah! Dá-me, Jesus, de um Apóstolo o ardor,

Agora, no presente.


Virgem Imaculada, tu és minha Doce Estrela.
Que me dás Jesus e a Ele me unes;Deixa-me, terna Mãe, repousar sob teu véu

Agora , no presente.


Anjo da minha guarda, cobre-me com tuas asas,
Clareia com teus fogos a estrada que sigo;Vem dirigir meu passo e auxiliar-me, te peço,

Agora, no presente.


Quero ver-Te sem véu, Senhor! Sem nuvem,sua, ainda exilada, longe de ti, languesço.

Não me escondas, meu Deus, Tua amável Face

Agora, no presente.
.

Já voarei ao céu para que aí profira

Meus louvores a Ti, no dia sem poente,

Quando, então, cantarei em angélica lira

O Eterno presente!...
.




*Santa Terezinha do Menino Jesus.

.
.
.
.
.
.

1 de ago de 2011

Deixa entrar















..
.
"O sol passa o dia procurando frestas.
Deus nunca desiste." 

28 de jul de 2011

Esvaziar-se













.
.
"O silêncio, às vezes, é bom para quem tem muito a dizer,
e ótimo para quem não tem nada."
.

25 de jul de 2011

Alegrias do coração














.
Vá soltar pipas
Bela menina
Das eternas alegrias
Que tens no coração...
.
Porque quando a gente ria
Ó, bela menina,
Sai de nós toda nostalgia
E a dor da solidão...
.
Vá dizer para todos
Quão bela é a vida
E, que eles percebam
A sinceridade do teu coração...
.
.
Polyana Zavariz

20 de jul de 2011

Gratidão









.
"Abençoados os que possuem amigos,
os que tem sem pedir.
Porque amigo não se pede, 
não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente."
(Machado de Assis)
.
.
Aos que me visitam,
e aos que por aqui ficam:
.
FELIZ DIA DO AMIGO!
.
Que Deus, o Amigo por excelência, te abençoe!

16 de jul de 2011

Tarde Te amei!















.
..
.
Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova!



Tarde demais eu te amei!


Eis que habitavas dentro de mim e eu te procurava do lado de fora!


Eu, disforme, lançava-me sobre as belas formas das tuas criaturas.


Estavas comigo, mas eu não estava contigo.


Retinham-me longe de ti as tuas criaturas, que não existiriam se em ti não existissem.


Tu me chamaste, e teu grito rompeu a minha surdez.


Fulguraste e brilhaste e tua luz afugentou a minha cegueira. Espargiste tua fragrância e, respirando-a, suspirei por ti.


Eu te saboreei, e agora tenho fome e sede de ti.


Tu me tocaste, e agora estou ardendo no desejo de tua paz.






(Confissões - Santo Agostinho)