17 de dez de 2011

Coração eu tenho!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
.
.
.
.
"Faz frio. Pés descalços, sentada no chão... Abri meu recanto de carinhos e reli tantas cartas, tantas procuras, tantos tempos, tantas saudades. Leio tudo. Leio e saio catando com as pontinhas dos dedos qualquer coisa que me reponha. Me perdi, mas não me abandono. É preciso estar dentro de mim. Preciso me empurrar de volta. Tenho tanto medo de ver os dias passando enquanto fico.
.
(...) Decidida, sugiro chuva. Um banho de chuva, um grito na chuva, porque depois qua cai o céu, o mergulho é na vida. E arco-íris. Ah, e como tenho procurado um arco-íris! Uma recompensa. Uma aquarela.... E vou. Tentando, apesar de um tanto despetalada, dobrar a vida em flor, como diz a música.
.
(...) Eu sempre sorrio, repito. Não precisa ter nexo. Ir, parar. Falta de ação. Talvez cor. Coração eu tenho. Tenho tanto que quase aceito sê-lo. Vai ver é isso. Que amanhã, depois e sempre, eu seja. É tanto amor para amar."
(Jaya Magalhães)

Nenhum comentário: