28 de nov de 2010

Contrários

http://www.youtube.com/watch?v=3GI1Ck-A5VM



CONTRÁRIOS - PE. FÁBIO DE MELO

Só quem já provou a dor
Quem sofreu, se amargurou
Viu a cruz e a vida em tons reais
Quem no certo procurou
Mas no errado se perdeu
Precisou seber recomeçar.

Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar
Porque encontrou na derrota o motivo pra lutar
E assim viu no outono a primavera
Descobriu que é no limite que a vida faz crescer.

Que o verso tem reverso
Que o direito tem o avesso
Que o de graça tem seu preço
Que a vida tem contrários
E a saudade é um lugar que só chega quem amou
E que o ódio é uma forma tão estranha de amar

Que o preto tem distâncias
Que o esquerdo tem direito
Que a resposta tem pergunta
E o problema solução
E que o amor começa aqui no contrário que há em mim
E a sombra só existe quando brilha alguma luz.

Só quem soube duvidar, pôde enfim acreditar
Viu sem ver e amou sem aprisionar
Que no pouco se encontrou
Aprendeu multiplicar
Descobriu o dom de eternizar

Só quem perdoou na vida sabe o que é amar
Porque aprendeu que o amor só é amor
Se já provou alguma dor e assim viu grandeza na miséria
Descobriu que é no limite que o amor pode nascer.

21 de nov de 2010

Ele está a caminho!



















[Crédito post: vidaecastidade.blogspot.com]

20 de nov de 2010

Santidade: 'Se Jesus quer, eu também quero'!

Testemunho de Dom Salvador Paruzzo.

No dia 25 de Setembro foi beatificada uma jovem italiana, Chiara Luce Badano. Uma jovem nascida em 1971 que aos 18 anos ficou tomada por um câncer que a levou a morte depois de um ano em 1990.

Enquanto acompanhava a celebração da beatificação, pela televisão, fiz a ela um pedido: “Chiara Luce, neste dia em que a Igreja celebra a tua festa, concedi-me a graça da saúde”.


Ouvindo a homilia do Arcebispo algo me impressionou muito. Quando os médicos revelaram a Chiara Luce a doença que ela tinha, voltando para casa entrou no seu quarto, se jogou na cama e ficou chorando por um bom tempo. Depois saindo do quarto, ela que participando dos encontros Gen (Geração Nova do Movimento dos Focolares) tinha descoberto o amor de Deus e escolhido Jesus Abandonado como medida maior do amor, á sua mãe disse com decisão: “Se Jesus o quer, também eu quero”. Iniciando a viver esta doença como a missão que Jesus lhe tinha confiado.


Estas palavras foram a resposta de Chiara Luce ao meu pedido. Também eu disse a Jesus: “Jesus, se tu queres também eu quero.”


Este período está sendo muito frutuoso. Ser Bispo na verdade não é somente organizar a evangelização, animar o clero e os religiosos, incentivar os leigos, celebrar etc. antes de mais ser Bispo é tomar cada dia a cruz com Jesus, é oferecer ao Pai com Jesus alegrias e sofrimentos, mais que fazer muita coisa é “completar na minha carne aquilo que falta á paixão de Cristo pelo bem da Igreja”.


Esta atitude de aceitação da cruz e de oferta foi preparada pelo retiro espiritual ao qual participei na Suíça. Um banho de espiritualidade entre as montanhas de Saint Maurice e Beex. Com mais de 50 Bispos vindos de tantas nações: Coréia, Filipinas, Tailândia, Índia, Paquistão, Síria Líbano, África, Madagascar, varias nações da Europa, Canadá, Argentina e Brasil.


Oração, estudo, partilha de experiências, passeios: 10 dias de Tabor, como reza uma canção: “raiz na terra, pensamento no céu, humanidade no coração”. O tema central do nosso retiro nos impulsionou a “Responder ao amor de Deus fazendo a Sua vontade”.


No final tinha de voltar de Saint Maurice até o aeroporto de Zurique.


De manhã cedo um jovem se prontificou para acompanhar-me á estação do trem. Daí a pouco chegou outro jovem amigo e os dois esperaram o trem sair para continuar abanando seus lenços. Tive a impressão de ver os dois Anjos que no sepulcro apareceram a Maria Madalena, convidando-a a não chorar, pois Jesus ressuscitou.


No trem sentou ao meu lado um homem de origem turca, conversamos um pouco em francês e quando chegamos a estação de Lousanna, teu tinha que trocar de trem. Porém com as várias malas não era fácil para mim. Espontaneamente aquele turco, não somente me ajudou a carregar as malas, mas me acompanhou até o outro trem, e esperou que partisse, antes de continuar a sua viagem. Em Genebra foi um jovem suíço, que espontaneamente me ajudou a carregar as malas para trocar de trem para ir até o aeroporto. Espontaneamente lembrava o Salmo 33 “Deus coloca seus Anjos para te proteger no caminho”.


No dia 7 de Agosto fui para a Sicília, a minha terra, para conviver com os meus familiares.


Foi também uma bela ocasião de encontrar Bispos, sacerdotes, os familiares dos padres Fidei Donum que trabalham em nossa diocese, Pe. Giovanni Giglio e Pe. Giovanni Battaglia.


Primeira cruz


Depois de alguns dias (10 de Agosto) eis que inesperadamente iniciou uma dor no joelho e na perna, um médico amigo logo veio me ajudar com alguns remédios. Depois de alguns dias surgiram bolhas que se espelharam por toda a perna direita, enquanto continuavam as dores. Procurei uma dermatóloga que me orientou com vários remédios.


Voltando para o Brasil procurei um médico de confiança. Explicou-me que se tratava provavelmente de Herpes Zoster e que precisava alguns meses para se restabelecer.


Aconselhado por um amigo fui fazer algumas sessões de acupuntura. Mas realmente para este problema precisa tempo para se reconstituir a cobertura dos nervos atingidos.


Agora estou fazendo fisioterapia.


Segunda cruz


No entanto chegou outra notícia: o Ecônomo da Diocese, o Comendador Francisco Rodrigues Pinha, por causa de um enfarte faleceu. O Senhor Pinha meu grande colaborador e amigo, com o qual caminhamos juntos ao longo destes 11 anos de vida da diocese. Certamente já realizou a sua missão e Deus o chamou para a sua Casa.


Terceira cruz


Depois de chegar ao Brasil me comunicaram que um religioso responsável de uma paróquia, por motivos físicos e psicológicos deixou a paróquia.


Hoje continuo a recuperação com tranqüilidade. É tempo de celebrar o Sacramento da Crisma, o Vigário Geral substitui. Aos encontros os Bispos no Regional e no Sub Regional, vai o Vigário da Pastoral.


Quero agradecer a compreensão dos padres e a todos àqueles que se uniram numa corrente de oração pela minha saúde.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -


por Dom Salvador Paruzzo
(Aprendendo com a Beata Chiara Luce - Se Jesus quer, também eu quero! 2010-11-16)
FONTE: http://www.comshalom.org/formacao/exibir.php?form_id=4958
 Santa Chiara Luce, rogai por nós!

12 de nov de 2010

Prioridades


















"A vida é bela para quem sabe priorizá-la, (...) é no agora
que temos a possibilidade de reescrever nossa história,
mudando a direção em que empregamos nosso tempo e
nossas energias.
Quem ama consegue encontrar tempo para aqueles que
realmente são impportantes. Quem ama sabe priorizar.
A virtude mora na escolha... certa é claro.
Amar é escolher o essencial."
.
ADRIANO ZANDONÁ - Comunidade Canção Nova
(Tx. Amar é escolher o essencial - www.cancaonova.com/formacao)

Correndo atrás dos Sonhos...














Quero partilhar com vocês (que leem meu blog) algo que
tem se tornado muito importante para mim e que tem dado
novo sentido em minha vida.
.
Estou no 4º período de Pedagogia, e dias atrás fiz meu
estágio em Educação Infantil e, fiquei feliz por poder
ver como "funciona" a sala de aula.  Ainda que tenha
me sentido insegura com o novo e receosa algumas
vezes, foi muito bom. As crianças são lindas e me
ensinaram tanto!
.
Como foi bom estar rodeada por aquelas pequenas pessoas
que são tão grandes de coração e tão cheias de vida, e que
transmitem tanta alegria...
.
Bom... é isso. Quis dizer um pouco mais de mim, de minhas
coisas, com vocês. Paz e Bem.
.
.
Polyana Zavariz.

1 de nov de 2010

A celebração da festa de todos os Santos







Neste dia a Igreja militante honra a Igreja triunfante.











No dia 1º de novembro, a Igreja celebra a festa de Todos os Santos. Segundo a tradição, ela foi colocada neste dia, logo após 31 de outubro, porque que os celtas ingleses - pagãos -, celebravam as bruxas e os espíritos que vinham se alimentar e assustar as pessoas nesta noite (Halloween).


Nesse dia, a Igreja militante (que luta na Terra) honra a Igreja triunfante do Céu “celebrando, numa única solenidade, todos os Santos” – como diz o sacerdote na oração da Missa – para render homenagem àquela multidão de Santos que povoam o Reino dos Céus, que São João viu no Apocalipse: “Ouvi, então, o número dos assinalados: cento e quarenta e quatro mil assinalados, de toda tribo dos filhos de Israel. Depois disso, vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de toda nação, tribo, povo e língua: conservavam-se em pé diante do trono e diante do Cordeiro, de vestes brancas e palmas na mão". "Esses são os sobreviventes da grande tribulação; lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro.” (Ap 7,4-14)

Esta imensa multidão de 144 mil, que está diante do Cordeiro, compreende todos os servos de Deus, aos quais a Igreja canonizou através da decisão infalível de algum Papa, e todos aqueles, incontáveis, que conseguiram a salvação, e que desfrutam da visão beatífica de Deus. Lá “eles intercedem por nós sem cessar”, diz uma de nossas Orações Eucarísticas. Por isso, a Igreja recomenda que os pais ponham nomes de Santos em seus filhos.


Esses 144 mil significam uma grande multidão (12 x 12 x 1000). O número doze e o número mil significavam para os judeus antigos plenitude, perfeição e abundância; não é um valor meramente aritmético, mas simbólico. A Igreja já canonizou mais de 20 mil santos, mas há muito mais que isto no Céu. No livro 'Relação dos Santos e Beatos da Igreja', eu pude relacionar, de várias fontes, quase 5mil dos mais importantes; e os coloquei em ordem alfabética.


A "Lúmen Gentium" do Vaticano II lembra que: "Pelo fato de os habitantes do Céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade toda a Igreja. Eles não deixam de interceder por nós junto ao Pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por seguinte, pela fraterna solicitude deles, a nossa fraqueza recebe o mais valioso auxílio” (LG 49) (§956).

Na hora da morte, São Domingos de Gusmão dizia a seus frades: “Não choreis! Ser-vos-ei mais útil após a minha morte e ajudar-vos-ei mais eficazmente do que durante a minha vida”. E Santa Teresinha confirmava este ensino dizendo: “Passarei meu céu fazendo bem na terra”.


O nosso Catecismo diz que: “Na oração, a Igreja peregrina é associada à dos santos, cuja intercessão solicita” (§2692).


A marca dos santos são as bem–aventuranças que Jesus proclamou no Sermão da Montanha; por isso, este trecho do Evangelho de São Mateus (5,1ss) é lido nesta Missa. Os santos viveram todas as virtudes e, por isso, são exemplos de como seguir Jesus Cristo. Deus prometeu dar a eterna bem-aventurança aos pobres no espírito, aos mansos, aos que sofrem e aos que têm fome e sede de justiça, aos misericordiosos, aos puros de coração, aos pacíficos, aos perseguidos por causa da justiça e a todos os que recebem o ultraje da calúnia, da maledicência, da ofensa pública e da humilhação.


Esta 'Solenidade de Todos os Santos' vem do século IV. Em Antioquia, celebrava-se uma festa por todos os mártires no primeiro domingo depois de Pentecostes. A celebração foi introduzida em Roma, na mesma data, no século VI, e cem anos após era fixada no dia 13 de maio pelo papa Bonifácio IV, em concomitância com o dia da dedicação do “Panteon” dos deuses romanos a Nossa Senhora e a todos os mártires. No ano de 835, esta celebração foi transferida pelo papa Gregório IV para 1º de novembro.


Cada um de nós é chamado a ser santo. Disse o Concilio Vaticano II que: “Todos os fiéis cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade” (Lg 40). Todos são chamados à santidade: “Deveis ser perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48): “Com o fim de conseguir esta perfeição, façam os fiéis uso das forças recebidas (…) cumprindo em tudo a vontade do Pai, se dediquem inteiramente à glória de Deus e ao serviço do próximo. Assim, a santidade do povo de Deus se expandirá em abundantes frutos, como se demonstra luminosamente na história da Igreja pela vida de tantos santos” (LG 40).


O caminho da perfeição passa pela cruz. Não existe santidade sem renúncia e sem combate espiritual (cf. 2Tm 4). O progresso espiritual da oração, mortificação, vida sacramental, meditação, luta contra si mesmo; é isto que nos leva gradualmente a viver na paz e na alegria das bem-aventuranças. Disse São Gregório de Nissa (†340) que: “Aquele que vai subindo jamais cessa de ir progredindo de começo em começo por começos que não têm fim. Aquele que sobe jamais cessa de desejar aquilo que já conhece” (Hom. in Cant. 8).


Felipe Aquino.
(FONTE: http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?e=12068)