25 de fev de 2012

Outonos


















.
.
É sentido. O coração já anuncia o silêncio chegado, e que precisa ser vivenciado. É tempo. Para que as sementes germinem o coração precisa parar, acalmar-se. Só assim as sementes poderão germinar. Mas aquele coração sempre se confunde... Quando chega o outono quer tornar-se preguiçoso diante dos jardins. Pois sabe, bem lá no fundo, que é justamente neste tempo que a terra será mexida, revirada, para que as sementes sejam lançadas no solo. E sabe que, ao mexer na terra, vai mudar tudo de lugar. Até aquelas feridas mais doídas...
.
Polyana Zavariz

Nenhum comentário: