29 de jun de 2014

Para tudo há um tempo

.
.
Tempo de saudades. Retomar as lembranças ajuda ao coração a encontrar espaços dentro de si e tomar consciência de sua condição. Fazer memória dos acontecimentos e chorar as saudades ajuda a encontrar sentido ao que se passa dentro de mim. Nem sempre sei expressar minhas emoções... E fico a olhar seu retrato, seu sorriso ainda ilumina os meus dias, pai. A delicadeza e a doçura de seus gestos me ensinam tanto! Ah, pai, junho que era tempo de celebrar o dom de sua vida, hoje nos faz recordar de ti com saudade, e o coração transborda - ainda que ninguém perceba. Porém, com mais serenidade e os pés mais firmes, posso olhar o horizonte com mais disposição e, perceber que consigo prosseguir. Estando mais consciente das próprias fragilidades, posso agora caminhar. Pois há um tempo para cada coisa.
.

(Das cartas que não enviei *– Polyana Zavariz)
.
*Dois anos de saudades.

Nenhum comentário: