15 de nov de 2012

Preparando o terreno


.
Era outono, folhas ao chão lançadas, cumprindo sua tarefa, girando e movimentando-se no sentido natural do tempo. Mistura de sensações e da transitoriedade da vida. Pois todas as expectativas são geradas neste tempo. As sementes também. 
.
Depois que a terra foi mexida, das folhas caídas, dos dias nublados, chega a estação do silêncio. Tempo em que o frio modifica paisagens e sentimentos, em que a nostalgia e as observações tornam se companheiras inseparáveis, e mesmo sem entender, o silêncio é essencial. Porém, o recolhimento nos transporta à outras possibilidades tão ricas quanto o tempo das respostas, e tem seu brilho particular. Sua beleza e finalidade. E é este tempo que vai sugerir o ponto que tornará o amanhã mais feliz ou não. Depende de como plantamos nossas sementes e o quanto nos dedicamos a elas (...nos excessos e faltas...).
.
Nenhuma estação acontece sozinha para completar sua obra de arte, mas precisam umas das outras. E cada qual cumpre o seu papel... Para chegar até as flores é um longo processo. Pois estas somente vão florescer nos solos que se permitiram viver cada tempo, compondo, assim,  a harmonia da vida. É na primavera que conhecemos quais sementes foram fortes - a ponto de morrer, para que a vida pudesse acontecer. E então, tornar o jardim ainda mais belo...

Nenhum comentário: